Mitos do Campismo

 

Coisas que as pessoas falam sobre acampar sem saber.

Você já deve ter ouvido falar muitas coisas ruins de acampar. “Perrengue, Chuva, Frio, Calor, Comer Mal, Mosquitos e etc.”. Tudo besteira! Questões relativas à natureza se solucionam com INFORMAÇÃO. Já sobre as oportunidades, só come miojo quem quer, só toma banho frio no meio do mato e só “dorme no chão” se quiser. Os mitos apenas distanciam as pessoas de uma das mais prazerosas formas de hospedagem e práticas de lazer. Não se deixe ser enganado.

Apesar do Brasil ter um potencial incrível para a modalidade, nosso país continental com milhares de quilômetros de litorais belíssimos, fantásticas maravilhas naturais e construídas pelo homem, chapadas, parques e reservas ecológicas, o campismo e caravanismo ainda sofrem com alguns mitos que são veiculados pela mídia ou pela cultura popular.

VIAJAR BARATO: Acampar PODE ser mais barato, mas também pode ser até mais caro do que ir para uma pousada. O que vale é o prazer de estar junto à natureza levando sua própria “casa” e gozando da liberdade de turismo e espaços no camping.

SÓ COMER MIOJO: Não é preciso recorrer a comidas instantâneas para se alimentar bem, embora elas sejam igualmente práticas tanto no camping como em casa. Até mesmo para uma alimentação saudável há diversas receitas e ingredientes que dispensam o uso de industrializados ou enlatados.

BANHO GELADO: A grande maioria dos campings possuem chuveiros quentes em banheiros com sanitários e lavatórios, com apoios de lava-pratos e tanques. Banho gelado é só para quem busca (com muito gosto) o camping selvagem. O mesmo vale para as necessidades fisiológicas. “Fazer cocô no mato” não faz parte da realidade do campismo.

DORMIR NO CHÃO: Para os amantes do campismo este é um quesito extremamente positivo. Mesmo assim existem equipamentos que transformam o colchão ou colchonete em verdadeiras camas, como macas desmontáveis ou colchoes infláveis com altura dupla.

CHUVAS E PERRENGUE: Chuvas acontecem em qualquer lugar, viagem ou modalidade de hospedagem. Bem preparado um campista se protege das intempéries com maestria e ainda conta com a diversão de estar junto com seus amigos e familiares sem estarem presos em um quarto.

MUITA TRALHA PARA LEVAR: Depois que de “pega” o jeito e o gosto pelo campismo, a tralha se torna algo automático e prazeroso na preparação da viagem. Os outros pertences, como roupas e itens de higiene pessoal são iguais aos demais tipos de hospedagem.

FRIO / CALOR: Mesmo nos locais mais frios, uma barraca pode acolher e manter quentinho o ambiente interno além de ser uma vivência sensacional. Lembrando que ventiladores e aquecedores fazem parte deste mundo.

ZOEIRA/BAGUNÇA/BARULHO: Acontece como em diversos locais e sempre é bom pesquisar e escolher os muitos campings cujas regras resguardam a paz e tranquilidade dos seus hóspedes.

INSETOS: Os insetos são parte da natureza e é ela que buscamos neste estilo de vida. Nossas barracas possuem telas mosquiteiras vedadas com zíper e os repelentes são itens indispensáveis. Aliás, os insetos estão em toda parte!!

Estatísticas Campistas da Alemanha são Impressionantes

Os números da Alemanha no campismo e caravanismo são impressionantes. Segundo estatísticas oficiais, foram mais de 31 milhões de pernoites acampando, por parte dos alemães tanto em seu país quanto no exterior. Sendo um dos maiores mercados do mundo, a Alemanha é a maior produtora de veículos de recreação do mundo, onde fabrica a maior parte dos equipamentos que rodam por toda a Europa. O Brasil pode engatinhar, mas deve se inspirar neste modelo, já que possui até mais potencial para o campismo.

ESTATÍSTICAS: Levantadas, os pernoites em 2017 superaram 2016 em 1.7%. Mesmo assim, o presidente da Associação Federal de Campismo da Alemanha (Bundesverbandes der Campingwirtschaft in Deutschland e. V) alerta para que o país não se acomode nos números e que principalmente os campings não deixem de inovar. Ele alerta para um dos elementos que mais impactam negativamente o campismo no Brasil, que é a era digital. Em algumas outras falas, define o campismo de uma forma bastante verdadeira e importante: “Acampar significa inovação e experiência como uma forma de turismo praticamente natural” – Gunter Riechey

CAMPISMO DE LUXO: O MELHOR ALOJAMENTO DA EUROPA FICA EM PORTUGAL

O jornal “The Times” seleccionou 20 locais europeus para o campismo de luxo, conhecido como glamping. O vencedor é português.

A expressão glamping vem da junção de duas palavras, glamorous e camping, e traduz-se por campismo de luxo.

O local escolhido pelo jornal inglês é a Casa Fontelheira, um alojamento rural situado no concelho de Cabeceiras de Basto, na zona Norte do país. Neste local pode acampar-se em tendas de safari com capacidade para seis pessoas e totalmente equipadas, inclusive com cozinha.

O espaço tem ainda piscina privada, espaços verdes e serviço de massagens. Tudo o que é necessário para acampar em grande estilo (e com algum luxo).

 

Este ranking com 20 posições incluiu ainda locais para campismo de luxo na Dinamarca, Espanha, Itália, Noruega e França.

Para Portugal, além do primeiro lugar, houve também espaço para mais uma presença. O Boar Hide, uma cabine de madeira para quatro pessoas, situado no Alto Alentejo, na Serra de São Mamede. O jornal britânico aconselha ainda uma ida à vila de Marvão e ao seu castelo.